Campeões Improváveis no Mundo do Futebol

onde da a bola

Se olharmos para os maiores campeonatos de futebol do mundo, raramente há mais do que quatro ou cinco candidatos ao título. Geralmente, repartem as honras ao longo dos anos e não há muitas surpresas. Contudo, toda a regra tem a sua exceção e decidimos apresentar uma lista dos campeões mais improváveis.

Leicester City | 2015 – 2016

Os “Foxes” chocaram o mundo do futebol em 2016 quando venceram a Premier League, considerada por muitos como a melhor liga de futebol do mundo. O Leicester conquistou 81 pontos, mais 10 pontos do que o segundo classificado, o Arsenal e mais 11 do que o terceiro classificado, o Tottenham. Curiosamente, se pensarmos na Premier League em 2022, é difícil imaginar um pódio com estas três equipas.

Ipswich Town | 1961-1962

A primeira grande surpresa da Liga Inglesa (ainda antes de se chamar Premier League) foi o Ipswich Town. Na sua primeira época no principal escalão do futebol inglês, os “blues” conseguiram um título inédito que os encaminharia para presenças recorrentes nas competições europeias. Venceriam também a Taça Uefa em 1980-1981.

Nottingham Forest | 1977-1978

Guardamos uma das mais bonitas histórias do futebol para nos despedirmos das terras de Sua Majestade. O Nottingham Forest e a sua vitória na primeira divisão de Inglaterra tiveram direito a um filme, sobretudo pela dedicação de Brian Clough ao clube durante 18 anos. Os “Garibaldi” venceram o campeonato e não se deram por satisfeitos. Conseguiram uma dobradinha inédita na Taça dos Campeões Europeus e ainda uma Supertaça Europeia. Um autêntico conto de fadas.

Hellas Verona | 1984-1985

Viajamos agora para Itália. Década de oitenta e há um nome sonante nas terras transalpinas: Diego Maradona. E se o Nápoles era um candidato ao título juntamente com a Juventus e a Roma, o Hellas Verona não fazia parte dessa lista. Mas o Scudetto foi mesmo para Verona. A cidade pode ter servido de cenário para Shakespeare em “Romeu e Julieta”, mas tornou-se o palco dos sonhos de muitos adeptos dos “Mastini”.

Sampdoria | 1990-1991

Avançamos quase uma década. O calcio italiano continuava a dar que falar e despontavam talentos em todo o lado. Baggio, Klinsmann, Matthaus, Van Basten, Caniggia e Rudi Voller, só para mencionar alguns dos craques da Serie A. Mas viria a ser o atual treinador campeão europeu, Roberto Mancini, a chegar ao título com a camisola da Sampdoria para choque dos adeptos italianos. Numa altura em que o campeonato italiano era talvez o melhor do mundo, é preciso tirar o chapéu à “La Samp”.

Deportivo de La Coruña | 1999-2000

Se pensarmos na La Liga, os vencedores parecem repetir-se: Barcelona, Real Madrid e Atlético. Mas no início do novo milénio, o Deportivo conseguiu um feito pela primeira e única vez na sua história (pelo menos até ao momento): vencer a primeira liga espanhola. Pandiani, Makaay, Luque, Molina e Mauro Silva foram apenas alguns dos jogadores mais importantes do histórico título do Deportivo.

Wolfsburg | 2008-2009

A Bundesliga não será atualmente muito atrativa para quem gosta de surpresas no futebol, tendo em conta que o Bayern de Munique não tem deixado migalhas para ninguém. Mas antes desta hegemonia, o Wolfsburg conseguiu um título inédito na primeira divisão alemã e com caras bem conhecidas dos adeptos portugueses como Benaglio (ex-jogador do Nacional da Madeira), Ricardo Costa (ex-jogador do FC Porto) e Alex (ex-jogador do Vitória SC).

AZ Alkmaar | 2008-2009

Na mesma época que o Wolfsburg surpreendia na Bundesliga, Van Gaal gerava surpresa na Eredivisie ao levar o AZ Alkmaar ao título. O técnico holandês acabaria por chamar esse título da sua “melhor pequena obra de arte”. Foi também uma oportunidade de redenção para Van Gaal cuja carreira parecia estar em declínio. O futebol do AZ foi muito elogiado, especialmente pelo estilo de futebol dinâmico e atrativo.

Montpellier | 2011-2012

Em França, poderíamos ter recuado mais uma época e o campeão ainda teria sido surpreendente. Mas optamos pelo Montpellier visto que até hoje é o único título de campeão do clube. Antes do domínio do PSG e depois de muitas épocas de glória para o Lyon, o Montpellier conseguiu um feito histórico ao vencer a Ligue 1 com 82 pontos, apenas mais três do que o PSG. Giroud foi o destaque da equipa, arrecadando também o prémio de melhor marcador com 21 golos.

Boavista | 2000-2001

Acabamos a lista em casa, mais concretamente no Porto, na Boavista. Com Jaime Pacheco ao leme da equipa axadrezada e contrariando a habitual hegemonia dos “três grandes”, o Boavista sagrou-se campeão da Primeira Liga Portuguesa. O campeonato foi renhido e o Boavista somou apenas mais um ponto do que o segundo classificado, o FC Porto. A equipa do Boavista contou com boas exibições por parte de vários jogadores com destaque para o “Pistoleiro” Silva, Martelinho, Petit, Ricardo e Rui Bento. Desde então, nunca mais houve surpresas na Primeira Liga

Ligações Rápidas