Lendas do Futebol - Zinedine Zidane

Zinédine Zidane
David Ruddell modified by SuperManu, CC BY 2.0 , via Wikimedia Commons

Zinedine Yazid Zidane nasceu a 23 de junho de 1972, em Marselha, França. Os seus pais emigraram para França para fugir à guerra na Algéria. Foi no bairro de La Castellane que Zidane começou a jogar futebol com os seus vizinhos com apenas cinco anos. O seu primeiro clube foi o US Saint-Henri, um clube do mesmo bairro. Mas Zizou acabaria por ficar lá apenas um ano e meio até se mudar para o SO Sèptemes-les-Vallons a pedido do treinador dessa mesma equipa. Seria através deste último clube que Zidane acabaria por alcançar voos mais altos. Com apenas 14 anos, participou numa iniciativa da Federação Francesa que permitia aos jovens de várias províncias de França participarem num campo de treinos que durava três dias. Apesar de não haver muito tempo para impressionar, Zidane acabaria por mostrar muita qualidade e seria observado pela equipa de olheiros do AS Cannes, especialmente pelo ex-jogador Varraud que o recomendou ao clube.

 

AS Cannes

Inicialmente, Zidane ficaria no Cannes durante seis semanas. No entanto, o talento do jovem francês despertava curiosidade. Para rumar a Cannes, Zidane acabou por separar-se da sua família que permaneceu em Marselha e ao invés de partilhar um dormitório com os seus colegas de equipa, encontrou guarida na casa do Diretor de Futebol do AS Cannes.

Era notório que Zidane não permitia qualquer tipo de insulto racial e as primeiras semanas do craque francês ficaram marcadas por um castigo. Zidane esmurrou um adversário depois de ouvir insultos contra as suas origens. O seu treinador aconselhou-o a canalizar toda aquela raiva para o futebol e o conselho parece ter resultado.

No dia 18 de maio de 1989, Zidane estreou-se pela primeira equipa do AS Cannes num jogo da 1ª Liga Francesa, contra o Nantes. Seria também contra o Nantes que Zidane se estrearia a marcar, dois anos depois. Nesse dia, Zizou recebeu um carro, uma oferta do Presidente do Cannes que lhe tinha prometido um automóvel assim que Zidane fizesse o seu primeiro golo.

Na sua primeira temporada completa pelo clube, Zidane ajudou o Cannes a conseguir um quarto lugar e a garantir a sua participação na Taça UEFA. No total, Zidane disputou 24 jogos e marcou quatro golos. Apesar dos números não refletirem o brilhantismo que hoje conhecemos, era impossível não reparar, já naquela altura, na capacidade técnica de Zidane, sobretudo a forma como via o jogo e como tratava a bola.  

 

FC Girondins Bordeaux

Em 1992/93, Zidane transferiu-se para o Bordeaux, um clube assíduo nas competições europeias. E foi precisamente na Europa que Zidane conseguiu o seu primeiro título. Em 1994/95, o Bordeaux conseguiu conquistar a Taça Intertoto depois de vencer o Karlsruher SC (Alemanha). Na altura, a final era disputada a duas mãos e o Bordeaux precisou apenas de uma vitória e um empate para conseguir o título. Durante esta campanha europeia, Zidane ajudou a equipa com 5 golos e uma assistência.

No ano seguinte, o Bordeaux tentou subir de patamar, desta feita na disputa da Taça UEFA. E, apesar de ter conseguido chegar à final, o clube francês acabaria por sucumbir ao poderoso Bayern de Munique.

Enquanto jogador do Bordeuax, Zidane acabaria por ter vários parceiros no meio do terreno, mas ninguém como Lizarazu e Dugarry. Esta parceria foi também até à seleção francesa e era sinónimo de qualidade. Alegadamente, Zidane terá sido oferecido ao Newcastle United em 1996, mas o clube terá recusado os serviços do médio francês uma vez que, segundo eles, não teria qualidade para a 1ª Liga Inglesa. Nesse ano, Zidane seria eleito o melhor jogador da 1ª Divisão Francesa.

Zidane sairia do Bordeaux em 1996 com um total de 170 jogos, 38 golos e 13 assistências.

Juventus

No final da época de 1995/1996, Zidane tinha vários clubes europeus interessados no seu inegável talento. O francês decidiu jogar em Turim, ao serviço da mais recente Campeã Europeia, a Juventus. A sua carreira na Velha Senhora começou da melhor maneira e na sua primeira temporada, Zidane conseguiu vencer a Serie A e a Taça Intercontinental. Ainda nessa temporada, foi escolhido como o melhor jogador estrangeiro da Serie A.

            Zidane jogava sobretudo como playmaker sendo que o avançado era nada mais nada menos que o talentoso Alessandro Del Piero, lenda da Juventus. Em Turim jogou ao lado de outros nomes importantes como Peruzzi, Didier Deschamps, Antonio Conte, Inzaghi, Zambrotta e até o português Dimas.

            A equipa de Turim conseguiria chegar novamente à final da Liga dos Campeões, mas desta vez, perderia contra o Borussia Dortmund num jogo em que Zidane esteve muito apagado, sobretudo devido à excelente marcação de Paul Lambert.

            Na época seguinte, Zidane conseguiria ajudar a Juventus a vencer novamente a Serie A. Mais uma vez, a Juventus chegaria à final da Liga dos Campeões. O jogo foi contra o Real Madrid e os espanhóis acabaram por vencer a partida por 1-0.

            Em 1998, Zidane foi nomeado pela FIFA como o melhor jogador do Mundo e venceu também a Bola de Ouro. Na sua última temporada ao serviço da Velha Senhora, Zidane e o resto da equipa não foram além do segundo lugar na Serie A, tendo sido eliminados na fase de grupos da Liga dos Campeões depois de, mais uma vez, a fúria de Zidane vir ao de cima quando deu uma cabeçada a um jogador do Hamburger SV.

            Zidane deixou a Juventus em 2001 com um total de 212 jogos, 31 golos e 50 assistências.

Real Madrid

No final da temporada 2000/01, Zidane seria escolhido novamente como o melhor jogador estrangeiro da Serie A. No entanto, a sua carreira já tinha um novo destino: Madrid. Zidane seria o mais recente galáctico a assinar pelo Real Madrid a troco de um valor recorde.

Seria precisamente na sua primeira temporada ao serviço dos merengues que Zidane assinaria um dos golos mais bonitos da sua carreira. Na final da Liga dos Campeões, num jogo contra o Bayer Leverkusen, Zidane marcou o golo da vitória (2-1) num vólei perfeito que juntou uma rotação perfeita a um espetacular remate a 16 metros da baliza defendida por Hans-Jorg Butt.

Na temporada seguinte, o Real Madrid de Zidane, FigoBeckhamRoberto Carlos e mais alguns galácticos, conseguiria ganhar a La Liga. O francês voltou a ser escolhido pela FIFA como o melhor jogador do Mundo e em 2004 os fãs votaram em Zidane como sendo o Melhor Jogador Europeu dos últimos 50 anos.

Apesar da equipa do Real Madrid estar cheia de jogadores talentosos e verdadeiramente galácticos, Zidane não acrescentou muitos mais títulos ao palmarés. Venceu um campeonato, duas Supertaças de Espanha, uma Supertaça Europeia e uma Taça Intercontinental.

Em 2006, Zizou anunciou que encerraria a sua carreira depois do Mundial. O seu último jogo foi contra o Villarreal num empate a três bolas, com um golo de Zidane. No Santiago Bernabéu era possível ver uma faixa enorme: “Obrigado pela magia”.

Zidane fez um total de 227 jogos, marcou 49 golos e fez 67 assistências ao serviço do Real Madrid.

Seleção Nacional

Zidane começou a sua jornada na Seleção Francesa nos sub-17. Contudo, o seu primeiro título chegaria nos Sub-21, com uma medalha de bronze no Jogos Mediterrâneos em 1993. No ano seguinte, Zidane faria a sua estreia pela seleção A num amigável contra a Chéquia que culminou num empate a dois. Zidane agarrou o lugar na seleção depois de Eric Cantona ter sido suspenso por agredir um adepto.

A sua primeira competição foi o Europeu de 1996, em Inglaterra. Zidane ainda não era uma certeza absoluta na primeira equipa, mas ainda assim marcou por duas vezes no desempate por grandes penalidades tanto nos quartos de final como nas meias-finais. Contudo, não seria suficiente para ajudar a França a classificar-se para a final.

Dois anos depois, a França jogava o Mundial de 1998 em casa. Os jogos correram bem na fase de grupos e a França passou com três vitórias. Curiosamente, Zidane tornar-se-ia o primeiro jogador francês a receber um cartão vermelho na fase final de um Mundial. Na ronda seguinte, sem Zizou, a França acabou por vencer o Paraguai e avançar até aos quartos de final. Já com Zidane em campo, os franceses venceram a Itália no desempate por grandes penalidades. Na meia-final, a França derrotou a Croácia por 2-1 e marcou encontro com o Brasil na final. E, apesar de ter ajudado a equipa nos diferentes jogos que disputou, Zidane ainda não tinha marcado nenhum golo no torneio.

Apesar de disputarem o torneio em casa, a França não era favorita. Afinal, jogava contra os atuais campeões do mundo. No entanto, os gauleses dominaram a partida do início ao fim e Zidane conseguiu marcar não um, mas dois golos. Ao intervalo, a França vencia por 2-0 e foi Emmanuel Petit quem selou a vitória dos franceses. Zidane fazia então parte da primeira seleção francesa a vencer o Mundial. Nesse mesmo jogo, recebeu a distinção de melhor jogador em campo e aos olhos dos adeptos franceses, Zidane tornou-se um herói.

O Euro 2000 consagrou ainda mais os franceses que se tornaram na primeira seleção a vencer o Mundial e o Euro desde 1974. Zidane fez o gosto ao pé por duas vezes. Um dos golos foi contra a Espanha nos quartos de final e o outro, infelizmente, fez cair Portugal nas meias-finais do torneio. O francês foi considerado o melhor jogador do torneio e muita gente afirma ter sido o pico da carreira de Zidane.

Em 2002, a França era favorita a vencer o Mundial sobretudo depois dos êxitos de 1998 e 2000. Zidane lesionou-se num amigável de preparação e ficou impedido de jogar os dois primeiros jogos. A França não conseguiu marcar nenhum golo em ambas as partidas. Zidane regressaria para o terceiro jogo, embora não estivesse totalmente recuperado, mas não seria o suficiente para evitar a eliminação da França ainda na fase de grupos.

Já em Portugal, no Euro 2004, a França continuava a ser considerada uma das melhores seleções. Na fase de grupos, os gauleses conseguiram ficaram em primeiro no grupo, mas acabariam por ser surpreendentemente eliminados nos quartos de final pelos vencedores do torneio, a Grécia. Depois da eliminação da França, Zidane anunciou que não voltaria a jogar pela Seleção Francesa.

Em 2006, os franceses não tiveram facilidades em apurar-se para o Mundial na Alemanha. Afinal, vários jogadores importantes terminaram as suas carreiras internacionais e a França estava em período de renovação. A pedido do selecionador Domenech, Zidane voltou a vestir a camisola da seleção e a comandar a equipa enquanto capitão. Thuram e Makélélé também voltaram para ajudar a França e o trio acabou por ser fundamental na vitória por 3-0 contra as Ilhas Faroé. Essa vitória colocou a França novamente na rota do Mundial.

Zidane ficou de fora do terceiro jogo da fase de grupos, mas voltou com uma assistência e um golo contra a Espanha, nos oitavos de final. Na ronda seguinte, a França eliminou o Brasil numa reedição da final de 1998. Nas meias-finais, Zidane voltaria a ser o carrasco de Portugal ao marcar o penálti que deu a vitória aos gauleses.

O jogo da final seria também o último jogo da carreira de Zidane e não faltavam motivos para assistir à partida. E a França começou bem, com um golo logo aos sete minutos. Zidane não acusou a pressão e marcou um penálti à Panenka. No minuto 110, aconteceu um dos momentos mais famosos do futebol. Numa picardia com Marco Materazzi, o italiano terá alegadamente insultado a irmã de Zidane e o francês cabeceou violentamente o peito do defesa. Zidane foi expulso e não participou no desempate por grandes penalidades. A França perdeu 5-3 mas Zidane ainda foi considerado o melhor jogador do torneio.

No total, Zidane somou 108 internacionalizações e 31 golos ao serviço dos Bleus.

E depois do adeus

Zidane acabou a sua carreira em 2006 e durante alguns anos apareceu esporadicamente em jogos de beneficência. Em 2009 foi contratado para ser conselheiro de Florentino Pérez. No ano seguinte, a pedido de José Mourinho, Zidane tornou-se consultor da primeira equipa. Em 2011, foi anunciado que Zidane seria o novo Diretor Desportivo dos Merengues. Em 2013, Zidane tornou-se treinador-adjunto de Carlo Ancelotti.

Em 2014, começa a carreira de treinador de Zidane ao serviço do Real Madrid Castilla, a equipa B do Real Madrid. Esta nomeação foi conturbada, sobretudo porque Zidane ainda não tinha a licença de treinador para assumir a equipa do Castilla. Contudo, o Real Madrid contornou o assunto ao colocar Zidane como treinador-adjunto nas fichas de jogo.

Em 2016, Rafa Benítez é dispensado pelo Real Madrid e Zidane é escolhido para liderar a equipa principal dos Blancos. Apesar de não ter conseguido vencer o campeonato espanhol, Zidane conseguiria a 11ª Liga dos Campeões depois de vencer o Atlético Madrid no desempate por grandes penalidades (5-3).

No ano seguinte, Zidane começaria a sua primeira época completa no Real Madrid com uma vitória na Supertaça Europeia contra o Sevilha. Em dezembro, o Real Madrid chegaria a um novo título ao vencer o Campeonato Mundial de Clubes. Zidane conseguiu também vencer La Liga e ainda chegou novamente à final da Liga dos Campeões, desta vez, contra a Juventus. E se Zidane ganhou apenas uma Liga dos Campeões na sua longa carreira como jogador, como treinador foi a sua segunda Liga dos Campões.

Na época seguinte, ainda com Zidane ao leme da equipa merengue, o Real Madrid voltou a ganhar a Supertaça Europeia e também conseguiu vencer a Supertaça de Espanha ao derrotar o Barcelona. Zidane seria considerado pela FIFA como o Melhor Treinador em 2017. Ainda em dezembro desse ano, Zizou chega aos oito títulos enquanto treinador ao vencer novamente o Mundial de Clubes. O campeonato não foi revalidado, mas o Real conseguiria uma proeza maior. Três anos, três finais da Liga dos Campeões e três vitórias. Zidane tornou-se o primeiro treinador a vencer a competição três vezes consecutivas.

Cinco dias depois do final da Liga dos Campeões, Zidane anunciou que iria sair do Real Madrid porque o clube precisava de mudar. No entanto, Zizou voltaria em março de 2019 depois dos seus sucessores não conseguirem alcançar o que era esperado. Zidane não conseguiu vencer novamente a Liga dos Campões, mas conseguiu o seu segundo título da La Liga. Em 2021, Zidane voltou a sair depois de não ter vencido nenhum título nessa temporada.

Talvez Zidane tenha nascido mesmo para o futebol. Afinal, fez magia enquanto jogador havendo quem dissesse que Zizou parecia calçar luvas de seda nos pés tal era a forma como tratava a bola. No entanto, Zidane já deu provas de ser um bom treinador e, sobretudo, um treinador vencedor.

Ligações Rápidas