Lendas do Futebol - David Beckham

David Beckham Jogo Canal
David Ruddell modified by SuperManu, CC BY 2.0 , via Wikimedia Commons

David Robert Joseph Beckham nasceu no dia 2 de maio de 1975 em Londres, Inglaterra. A sua ligação ao futebol começou no dia em que os pais escolheram o seu nome até porque o nome “Robert” foi escolhido pelo pai de Beckham em homenagem ao seu jogador favorito, Bobby Charlton. Os pais de David eram absolutamente fanáticos pelo Manchester United e faziam muitos quilómetros para verem os jogos dos Red Devils.

Beckham participou em alguns torneios na infância, mas o seu primeiro clube foi o Ridgeway Rovers onde o seu pai era um dos treinadores. Chegou a participar em captações do Leyton Orient, do Norwich City e do Tottenham. O próximo clube de Beckham foi o Brimsdown Rovers e o inglês chegou a ganhar um prémio de Melhor Jogador Sub-15 da época.

 

Manchester United

David Beckham assinou pelo Manchester United no dia 8 de julho de 1991. Fazia parte dum lote de jogadores que viriam a tornar-se muito conhecidos em Manchester como os irmãos Gary e Phil Neville, Paul Scholes e Ryan Giggs. Esta equipa dos escalões jovens do Manchester United acabaria por vencer FA Youth Cup em maio de 1992. Beckham teve um grande impacto em ambas as mãos da final da taça e esse desempenho levá-lo-ia a estrear-se na equipa sénior em setembro do mesmo ano, num jogo da Taça da Liga. Poucos meses depois, Beckham assinaria o seu primeiro contrato profissional. No ano seguinte, voltou a jogar a final da FA Youth Cup, mas sem sucesso. Em 1994 estreou-se na Liga dos Campeões, com um golo, na vitória por 4-0 contra o Galatasaray na fase de grupos.

            Ainda nessa temporada de 1994/1995, Beckham foi emprestado ao Preston North End para ter mais tempo de jogo. O médio impressionou com dois golos em cinco jogos, sobretudo quando apontou um golo olímpico ao marcar diretamente através de um canto. Regressaria ao Manchester na temporada seguinte para disputar apenas quatro jogos e ver a equipa falhar novamente a conquista da Premier League.

            Sir Alex Ferguson acreditava no potencial dos jogadores jovens e era conhecido por apostar nos talentos da casa. Beckham fez parte dos Fergie’s Fledglings juntamente com os irmãos Neville e Nicky Butt. A aposta foi recebida com muitas críticas dos adeptos que esperavam ver nomes mais sonantes nas fileiras do clube. No entanto, a juventude destes jogadores e a maturidade de Mark Hughes e Paul Ince, por exemplo, acabaram por resultar e os Red Devils sagraram-se campeões da Premier League nessa temporada e ainda venceram a FA Cup. David Beckham contribuiu com alguns golos e assistências, jogando sobretudo na posição de médio direito.

            Em 1997-98, Beckham começou a usar a mítica camisola 7 associada a outras lendas do Manchester United como George Best e Eric Cantona. A temporada começou bem, mas os Red Devils não conseguiram manter os resultados e terminaram em segundo lugar, atrás do Arsenal. Beckham foi o jogador com mais assistências da Premier League e marcou nove golos ao longo da época.

            A temporada de 1998/99 é até aos dias de hoje lembrada com saudades pelos adeptos do Manchester United, sobretudo nos dias que correm. Os Red Devils conquistaram a Tripla, ou seja, venceram o campeonato, a FA Cup e a Liga dos Campeões. Atualmente, continua a ser o único clube inglês a ter conseguido tal feito. No último jogo da Premier League, o Manchester precisava de vencer o Tottenham e houve quem suspeitasse de que o jogo seria combinado porque a disputa do título estava entre o Manchester United e o Arsenal, o clube rival do Tottenham. No entanto, os Spurs não facilitaram a vida ao Manchester United. O resultado acabaria por dar o título ao Manchester, numa vitória por 2-1, com um golo de David Beckham.

            Na final da Liga dos Campeões, contra o poderoso Bayern de Munique, Beckham jogou como médio centro porque Paul Scholes e Roy Keane tinham de cumprir um jogo de suspensão. O Manchester esteve a perder durante a maior parte do jogo, mas conseguiu fazer dois golos no período de compensação, ambos através de cantos marcados por Beckham. A época do inglês fez com que Beckham terminasse em segundo lugar nos prémios da FIFA, sendo superado pelo brasileiro Rivaldo.

            Em 1999/00, Beckham já chamava muita atenção por parte dos media, sobretudo pelo seu casamento. Todas as notícias extrafutebol pareciam criar dúvidas nos adeptos relativamente a Beckham enquanto jogador. No entanto, Ferguson defendeu o médio e Beckham acabou por ficar no Manchester. Na temporada seguinte, surgiram rumores de uma transferência de David para a Juventus, mas não chegou a acontecer. O United manteve o título da Premier League.

            Em 2000-01, Ferguson e Beckham pareciam não se entender, sobretudo por causa dos compromissos do médio fora dos relvados. Mas dentro das quatro linhas, Beckham continuou a fazer boas exibições e ajudou o Manchester a conquistar novamente a Premier League.

Na época seguinte, Beckham sofreu uma lesão grave e ficou de fora durante vários jogos. Um mês depois de se ter lesionado, Beckham renovou o contrato com o Manchester United até 2005. Nessa altura, juntando o novo contrato pelo United ao que ganhava em anúncios publicitários e parcerias, Beckham tornou-se o jogador mais bem pago do mundo. Apesar da lesão, muita gente considera que foi a melhor época de Beckham ao serviço dos Red Devils muito em parte pelos 16 golos marcados.

            Em 2002-03, Beckham lesionou-se novamente e não conseguiu recuperar o lugar no onze inicial. A sua relação com Ferguson ficou marcada pelo incidente com uma chuteira, num acesso de raiva do escocês que, incomodado com a derrota na FA Cup contra o Arsenal, atirou uma chuteira que acertou no olho de Beckham e que obrigou o inglês a levar pontos no sobrolho. Tudo isto gerou muita especulação em torno de uma possível transferência. Contudo, a época terminaria da melhor maneira com mais uma Premier League para o Manchester United e com a afirmação de Beckham como um jogador indispensável na Seleção Inglesa.

            No total, Beckham disputou 388 jogos, marcou 85 golos e fez 109 assistências enquanto jogador do Manchester United. Venceu seis títulos da Premier League, duas FA Cups, uma Liga dos Campeões e uma Taça Intercontinental em 12 anos.

Real Madrid

Depois de tantas polémicas e com uma enorme atenção mediática, o Manchester United parecia estar decidido a vender Beckham e o destino parecia ser o Barcelona. O negócio chegou a ser anunciado, mas Beckham acabou por assinar pelo Real Madrid a troco de 37 milhões de euros. O inglês tornava-se o mais recente galáctico. A apresentação de Beckham contou com 500 jornalistas de 25 países diferentes. A escolha do número da camisola pareceu surpreender alguns adeptos, mas tendo em conta que o número 7 pertencia a Raúl, Beckham acabou por escolher o número 23 em homenagem a Michael Jordan.

Beckham encontraria uma cara familiar no balneário do Real Madrid uma vez que o novo treinador dos merengues era o antigo treinador-adjunto de Ferguson, o português Carlos Queiroz. O Real Madrid começou a investir na divulgação da imagem de Beckham e o estágio na Ásia levou muitos adeptos orientais à loucura com a presença do inglês.

Em 2003/04, a temporada começou bem para Beckham com uma vitória na Supertaça Espanhola, com o inglês a marcar um golo no jogo da segunda mão. Ao seu lado, Beckham tinha uma verdadeira constelação de estrelas: FigoZidaneRonaldo, Raúl, Casillas e Roberto Carlos. Mas o inglês adaptou-se bem à equipa e marcou cinco golos nos primeiros dezasseis jogos. O Real Madrid não conseguiria mais nenhum título nessa época, tendo perdido a final da Taça do Rei e sendo eliminados nos quartos de final da Liga dos Campeões.

Na época seguinte, José António Camacho que tinha acabado de sair do Benfica, voltou ao Real Madrid desta vez como treinador da equipa principal. Contudo, não ficou por muito tempo e despediu-se ao fim de três jogos. No final do ano, o treinador interino foi dispensado e o Real Madrid anunciou o brasileiro Vanderlei Luxemburgo como novo treinador. Ainda assim não foi suficiente para levar a equipa ao primeiro lugar e o Real Madrid terminou o campeonato como vice-campeão.

Em 2005/06, o Real Madrid continuou sem ganhar a La Liga e sem avançar muito na Liga dos Campeões. Até Florentino Pérez decidiu despedir-se e o Real Madrid ficou com Boluda como presidente interino até ao final da temporada. Durante a época, Beckham criou academias de futebol em Los Angeles e em Londres.

A época de 2006/07 seria a última de Beckham nos merengues. Ramón Calderón foi eleito presidente e Fabio Capello foi contratado como treinador. Beckham jogou como titular nas primeiras partidas, mas começou a ceder o seu lugar a José Antonio Reyes. Nos primeiros nove jogos com Beckham a titular, o Real Madrid perdeu sete. Em janeiro de 2007, depois de algumas conversas contratuais, foi anunciado que Beckham deixaria o Real Madrid no final da temporada. Poucos dias depois, o inglês anunciou que tinha assinado um contrato de cinco anos com o LA Galaxy que começaria em julho de 2007. O anúncio foi recebido com desagrado por parte de Calderón e Capello. O treinador teria dito a Beckham que não voltaria a coloca-lo em campo. No entanto, um mês depois, Capello recuou e Beckham voltou a jogar tendo feito o golo do empate num lance de bola parada. O Real Madrid voltaria a ser eliminado da Liga dos Campeões nos oitavos de final.

Ainda assim, o Real Madrid conseguiria conquistar o título de La Liga, com Beckham a lesionar-se no último jogo e dar lugar a Reyes que acabaria por marcar dois golos fundamentais para o título. Foi apenas o segundo título de Beckham pelo Real Madrid.

Beckham deixou Los Blancos com 159 jogos disputados, 20 golos e 51 assistências.

LA Galaxy

O anúncio da transferência de Beckham para o LA Galaxy foi manchete de vários jornais desportivos um pouco por todo o mundo. Aliás, ainda antes de chegar a Los Angeles, o nome de Beckham já gerava muito dinheiro fosse em contratos de publicidade ou até com o aumento da compra de lugares cativos no estádio. O contrato assinado por Beckham tinha algumas cláusulas interessantes como a possibilidade do jogador adquirir um clube da MLS quando terminasse a carreira por apenas 25 milhões e dólares e a possibilidade de sair do clube depois de cumprir três dos cinco anos de contrato.

A sua estreia aconteceu no dia 21 de julho de 2007 num amigável contra o Chelsea e apesar de ter jogado apenas 12 minutos, as atenções estavam centradas maioritariamente no astro inglês.

Beckham falhou os próximos jogos por lesão. Estreou-se duas semanas depois do jogo contra o Chelsea, numa partida pela MLS contra o DC United que vendeu três vezes mais bilhetes do que o habitual. O LA Galaxy perdeu o jogo, mas Beckham mostrou muitas das suas melhores características. Beckham falharia o próximo jogo e voltaria novamente contra o DC United desta vez para as meias-finais da Superliga. Foi a primeira vez que jogou a titular, recebeu o seu primeiro cartão amarelo nos EUA e estreou-se como capitão da equipa. Também marcou o seu primeiro golo e fez a sua primeira assistência, ajudando a garantir a presença do LA Galaxy na final da Superliga. Mas as lesões pareciam não largar o inglês e Beckham voltou a lesionar-se e só voltou no último jogo da época.

Na temporada seguinte, Beckham treinou com o Arsenal em janeiro para manter a forma física. Nessa época, o médio voltaria a marcar um golo antológico ao fazer um remate ainda no seu meio campo. Ainda assim, a temporada acabaria sem títulos e o LA Galaxy nem sequer estaria nos playoffs da MLS.

Em 2009, Beckham é emprestado ao AC Milan. O inglês garantiu que não ia abandonar a MLS e a transferência parece ter acontecido para garantir que Beckham mantinha a forma física sobretudo para ajudar a Inglaterra nos playoffs de acesso ao Mundial de 2010.

A equipa do Milan tinha como líder o brasileiro Kaká mas contava com um elenco de estrelas: Ronaldinho, Pirlo, Zambrotta, Maldini e Seedorf. Beckham estreou-se num jogo da Serie A contra a Roma. Tendo em conta que a equipa do AC Milan tinha muitos jogadores veteranos, o estilo de jogo assentou bem a Beckham que na altura já estava com 33 anos. O seu primeiro golo na Serie A surgiu na vitória de 4-1 contra o Bologna. Embora fosse expectável o regresso de Beckham ao LA Galaxy, as suas exibições em Itália levantaram a especulação de que o inglês poderia regressar definitivamente à Europa. Porém, a oferta do AC Milan não foi de encontro aos valores pretendidos pela equipa de Los Angeles. O empréstimo foi prolongado, mas não houve uma transferência definitiva.

Quando regressou ao LA Galaxy, Beckham foi recebido com algum desagrado por partes dos adeptos uma vez que tinha falhado a primeira metade da temporada. No entanto, o Galaxy conseguiu vencer a final da Conferência Oeste nessa temporada, mas perderam a final da MLS contra o Real Salt Lake no desempate por grandes penalidades.

Em novembro de 2009 foi confirmado o regresso de Beckham ao AC Milan, novamente por empréstimo. Foi neste período que o inglês enfrentou pela primeira vez a equipa do Manchester United. Os Red Devils acabariam por vencer a partida por 3-2 e Beckham não jogaria os 90 minutos. No regresso a Old Trafford, Beckham entrou aos 64 minutos e foi bem recebido pelos adeptos do Manchester United. O médio fez bons passes e cruzamentos, mas a eliminatória foi ganha pelos Red Devils.

No jogo seguinte, contra o Chievo, Beckham rompeu o tendão de Aquiles e ficou fora do Mundial de 2010 e falhou o resto da temporada da MLS. Beckham regressaria aos relvados apenas em setembro de 2010, numa vitória por 3-1 contra o Columbus Crew. O LA Galaxy conquistaria novamente a Conferência Oeste e Supporter’s Shield (título dado à equipa com mais pontos durante a prova regular)

Em 2011, Beckham voltou a treinar em Londres, mas desta vez com a equipa do Tottenham. Especulou-se uma possível transferência, mas segundo o treinador dos Spurs, o Galaxy queria uma última temporada com Beckham. O LA Galaxy venceu o título da MLS numa temporada em que voltou a marcar um golo olímpico. O Galaxy ganharia novamente o Supporter’s Shield.

            O contrato de cinco anos de Beckham chegava ao fim em dezembro de 2011 e, apesar de estar com 36 anos na altura, o inglês garantiu que ainda não se iria aposentar. Apesar de ver o seu nome ligado ao PSG, Beckham renovou contrato com o LA Galaxy por mais dois anos. A equipa de Los Angeles terminou a Conferência Oeste em 4º lugar na temporada regular e chegou novamente à final dos playoffs onde renovou o título com uma vitória por 3-1 contra os Houston Dynamo. Beckham foi substituído aos 89 minutos e saiu sob uma chuva de aplausos já que aquele era o último jogo do médio com a camisola dos LA Galaxy. Beckham fez 124 jogos, marcou 20 golos e fez 42 assistências pelo clube norte-americano.

Paris Saint-Germain

No último dia do mercado de transferências de janeiro, em 2013, Beckham foi anunciado como jogador do Paris Saint-Germain. O contrato era de cinco meses e o jogador declarou que todos os seus salários no clube francês seriam doados a uma instituição. A estreia de Beckham pelos parisienses aconteceu no dia 24 de fevereiro, num jogo contra o Marselha. No dia 12 de maio, com a vitória do PSG na Ligue 1, Beckham aumentou o seu registo ao vencer título de campeão em quatro países diferentes. Quatro dias depois, Beckham anunciou que iria pendurar as chuteiras no final da época. No seu último jogo, contra o Brest, Beckham capitaneou a equipa do PSG e fez uma assistência. Ao ser substituído aos 80 minutos, Beckham saiu do campo debaixo de aplausos e com lágrimas nos olhos. No total, Beckham participou em 14 jogos e fez 2 assistências.

Seleção Nacional

Beckham estreou-se pela Seleção Inglesa em 1996, contra a Moldávia. Não fez parte da convocatória para o Euro 96 e o seu primeiro torneio com a camisola inglesa seria o Mundial de 1998. O médio jogou todos os jogos da fase de apuramento, mas falhou os dois primeiros jogos do Mundial porque Glenn Hoddle, o selecionador de Inglaterra, acusou Beckham de não estar concentrado no torneio. Foi titular no terceiro jogo contra a Colômbia e num belíssimo livre fez o seu primeiro golo na Seleção Inglesa. Nos oitavos de final, Beckham foi expulso depois duma falta dura sobre Simeone e a Inglaterra acabaria por ser eliminada nos penáltis.

O Euro 2000 não correu de feição aos ingleses e a derrota da Inglaterra contra Portugal gerou uma onda de desagrado enorme, sobretudo contra Beckham. Depois da demissão de Keegan, Beckham foi escolhido como capitão da Seleção Inglesa e foi fundamental em ajudar a equipa a qualificar-se para o Mundial de 2022. O inglês passaria de “besta a bestial” num jogo contra a Grécia. A qualificação direta só aconteceria em caso de vitória inglesa ou empate. Com pouco tempo no placar, os ingleses estavam a perder por 2-1 quando Sheringham sofreu uma falta. Beckham marcou um golo icónico e levou a Seleção Inglesa diretamente ao Mundial. A Inglaterra conseguiu chegar aos quartos de final do torneio com Beckham a fazer boas exibições. Contudo, a Inglaterra seria eliminada pelos futuros campeões mundiais numa derrota por 1-0 contra o Brasil.

O Euro 2004 não terá sido uma competição de boa memória para Beckham. A Inglaterra foi eliminada por Portugal nos quartos de final e Beckham foi um dos jogadores a falhar o seu penálti. O Mundial de 2006 viu novamente a Inglaterra a cair nos penáltis e novamente contra Portugal nos quartos de final. Beckham anunciaria a que não continuaria a ser o capitão da Seleção Inglesa. A Inglaterra não se qualificaria para o Euro 2008 e Beckham ficaria de fora do Mundial de 2010 por lesão.

No total, Beckham disputou 117 jogos por Inglaterra e fez 17 golos.

Businessman

David Beckham continua a ser uma celebridade e ainda está muito ligado ao futebol. Em 2014, o inglês anunciou que iria exercer a cláusula do seu contrato com o LA Galaxy para comprar um clube, mas o Inter Miami seria anunciado apenas em 2020, estreando-se nesse ano na MLS. Além disso, juntamente com ex-companheiros do Manchester United, Beckham tornou-se detentor de 10% do clube inglês Salford City. O ex-futebolista também participou em alguns filmes e séries e tem muitos projetos de filantropia para ajudar os mais desfavorecidos.

Ligações Rápidas